Documentários celebram a conclusão da oficina H2O Cine Recife dos Ateliers Varan

PNG

O cenário histórico do Cinema São Luiz abrigará neste próximo sábado (17), o fim de uma jornada de 10 jovens do Recife. Após uma seleção, os alunos foram escolhidos para cursar a formação em audiovisual com os Ateliers Varan, instituição francesa referência em produção cinematográfica. Foram sete semanas de aulas teóricas e práticas com documentaristas renomados como Adriana Komives (brasileira radicada na França), Catalina Villar (Colômbia), Daniele Incalcaterra (Itália) e Mariana Otero (França). Como resultado, cada novo cineasta produziu um documentário que tem em comum o cenário do Recife e o tema "Água e Meio Ambiente". A exibição dos filmes tem entrada gratuita, aberta ao público, a partir das 08h30.

A partir do tema, os alunos filmaram em vários cenários da cidade. Os assuntos dos documentários perpassam a relação dos recifenses com a praia e com a falta d’água, falam de uma cooperativa de catadores de material reciclado e até mesmo do nascimento de um bebê em um parto na água.

A metodologia de aprendizagem, o Método Direto, prevê que o aluno aprenda fazendo o seu filme e dos companheiros de curso. Inclusive, em todos os documentários, um aluno dirige a produção e outro produz a sonoplastia. Outra característica interessante é que os filmes não são sobre as pessoas, mas com elas. Os personagens interferem diretamente na produção e assim, o filme evoca uma experiência de vida para todos os envolvidos.

Cada produção tem duração de até 30 minutos e serão exibidas em três blocos. Os títulos dos filmes só serão fechados na sexta-feira (16) anterior à exibição, já que a última semana é dedicada a finalizar os detalhes de edição, que acontece no Portomídia. Toda a formação foi gratuita e patrocinada por instituições da França.

"O cineasta não capta uma imagem, ele vai ao encontro de uma pessoa e retrata com respeito a vida dela. O tema foi uma fagulha para ativar o desejo deles de fazer cinema. O documentário é um ato político. Sempre, de alguma forma, trabalhamos com a dificuldade humana. A ideia é sensibilizar o expectador através das histórias que os filmes contam", descreve a professora e idealizadora do Ateliers Varan, Adriana Komives.

O H2O Cine Recife conta com a produção local da Proa Marketing Cultural e Projetos e com o patrocínio da Région Île-de-France, da Prefeitura de Nantes e da Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD). Apoiam a iniciativa a Prefeitura do Recife por meio do Gabinete de Representação e Relações Internacionais, o Instituto Francês no Brasil, o Portomídia, o Sesc, a Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco, a Fundarpe, e a Universidade Federal de Pernambuco.

Serviço:
Exibição dos documentários da oficina H2O Cine Recife dos Ateliers Varan
Dia: 17/09
Local: Cinema São Luiz - R. da Aurora, 175 - Boa Vista
Hora: a partir das 08h30
Entrada franca

Alunos cineastas:
Carolina Oliveira de Souza Simplício
Catharine Maria Pinto Pimentel
Daniel Drumond Ribeiro
Diego de Oliveira Rodrigues
Diego Medeiros Gonçalo da Silva
Isabelle Ribeiro Santos Oliveira
João Arnaldo Novaes Júnior
Joelton Ivson Alves e Silva
Juliana Gleymir Casanova da Silva
Thor de Moraes Neukranz

Sobre os Ateliers Varan - Criados em 1978 por Jean Rouch, em parceria com o Ministério das Relações Exteriores da França, tinha por objetivo inicial proporcionar o acesso à produção de audiovisual. Foi assim que foram criadas oficinas na África do Sul, Papua Nova-Guiné, Colômbia, Bolívia e Camboja, por exemplo. Em 1981, os Ateliers Varan estiveram no Brasil pela primeira vez para uma oficina na cidade de João Pessoa. Em 2015, voltaram para uma oficina de roteiro para documentário em São Paulo, numa parceria com o SESC.
O Varan, com o respaldo de sua prática e de sua pedagogia, desejam agora desenvolver cursos em torno de temáticas fundamentais que fazem parte da realidade em diversas partes do mundo, mas que ao mesmo tempo implicam em uma mobilização e uma tomada de consciência internacionais. A instituição propõe aos estudantes uma maneira livre de contar sua realidade, sem nenhum compromisso com formas pré-estabelecidas e sim, segundo o seu próprio ponto de vista. As oficinas mais recentes foram as de São Paulo, Portugal, da ex-Iugoslávia, Vietnã e Afeganistão.

Professores:

Daniele Incalcaterra, professor do curso e realizador.
Como todos da equipe, submeteu-se à formação dos Ateliers Varan, tornando-se realizador e produtor. Hoje transita entre a Argentina, a Itália e a França, dirigiu filmes documentários tais que Chapare, Praça Vermelha, Terra de Avellaneda, Republica Nostra, e O Impenetrável, seu ultimo longa. Ele também foi o co-responsável do Atelier Varan de Bogotá em 2000, de Lisboa em 2004 e 2006 e de São Paulo em 2015. 


Adriana Komives, professora do curso e montadora
Cineasta e montadora. Brasileira radicada na França, Adriana trabalha para TVs como Arte e TV5. Ela colabora com alguns diretores brasileiros como Claudia Neubern e Paulo Pastorello, e dirigiu filmes de ficção e documentários: Les Lucioles, Tous les Enfants sont Fous, A república do Futebol, Transoceano. Ensina na Femis, INA, Le Fresnoy, DocNomads, e participou do Ateliers Varan em Lisboa em 2006, na Albânia em 2012, na Colômbia em 2013 e em São Paulo em 2015. 


Mariana Otero, professora do curso e realizadora
Realizadora francesa dos filmes documentários La loi du collège, Esta TV é a vossa, Nous voulons un autre monde e para o cinema o muito premiado História de um segredo, e os filmes Em nossas mãos, A céu aberto. Mariana ensina Cinema na Universidade de Poitiers, na Escola de Cinema de Lausanne e nos Ateliers Varan. Ela é responsável pelo estágio Ateliers Varan na Ilha Maurícia em 2002.

Catalina Villar, professora do curso e realizadora
Realizadora colombiana dos documentários Cadernos de Medellin, Toto la Momposina, Patricio Guzman: uma história chilena, Bemvindos à Colombia e A Nova Medellin. Ela cria o Ateliers Varan na Colômbia em 2000, colaborou com o Atelier da Venezuela em 2002, Portugal em 2004, Albânia em 2013, e São Paulo 2015. Catalina ensina o cinema documental na FEMIS, em Cali e em Barcelona.

Yves Peretti, professor do curso e realizador
Yves de Peretti nasceu em Versailles em 1952. Já dirigiu vários documentários. Foi co-fundador e ex-presidente da Associação dos documentaristas (ADDOC).

Processo - As inscrições aconteceram até julho e selecionou, após um amplo processo, 10 jovens. Não era necessário ter experiência com cinema. A oficina teve duração de sete semanas e as aulas foram ministradas na Faculdade AESO por quatro professores que também foram formados pelo Varan e são multiplicadores da técnica desenvolvida pela instituição.
Os alunos trabalharam em duplas com kits completos de equipamentos para vídeo e som, incluindo câmeras HD digital, microfone e acessórios. Além disso, eles tiveram à disposição computadores com software de edição e montagem dos vídeos. A oficina foi divida em três partes. A primeira teve exercícios de filmagem e projeções de vídeos para as discussões sobre o tema proposto. Na segunda fase os alunos fizeram as gravações e cada um teve parte das filmagens projetadas coletivamente para aprendizado e reorientação dos professores. Fechando a oficina, os alunos editaram seus vídeos-documentários e terão a culminância do processo na mostra dos documentários no dia 17/09, no Cinema São Luiz.

Método - O ensino dos Ateliers Varan é totalmente baseado na prática e durante sete semanas a oficina será em tempo integral, com aulas pela manhã e à tarde. É através da experiência de fazer um filme que o aluno absorve as noções técnicas de enquadramento, ponto de vista, dramaturgia, importância do som entre outras questões relacionadas à produção de audiovisual.

publicado em 19/01/2017

Topo de página